Armazenagem

Em suas 11 unidades próprias e duas conveniadas, a Cotripal está sempre pronta para receber o produto do agricultor. Com modernos equipamentos e agilidade no momento da entrega da produção, os estabelecimentos estão localizados próximos às lavouras, facilitando a locomoção da propriedade até o armazém.

As unidades de grãos da Cotripal seguem rigorosos controles de qualidade, garantindo total segurança na conservação da produção agrícola armazenada e, portanto, mantendo a integridade necessária para um bom negócio na hora da venda. Além disso, o associado recebe retorno das Sobras Líquidas da Cooperativa, valorizando ainda cada saca negociada.

Conheça nossos processos

PRÉ-LIMPEZA

Depois que o grão entra no armazém, existe um longo caminho para mantê-lo saudável até que chegue à indústria em plena condição e na mais alta qualidade. Portanto, há uma série de cuidados que devem ser tomados – pré-limpeza, secagem, limpeza, tratamento fitossanitário e expedição. Ronaldo Müller, gerente de armazenagem da Cotripal, conta que a Cooperativa é modelo em MIP Grãos (Manejo Integrado de Pragas). “Os grãos são perecíveis, por isso é preciso o máximo cuidado. Desde 2001, realizamos um trabalho contínuo para manutenção da sanidade de todos os produtos estocados nos nossos armazéns.”
A Cotripal é referência em beneficiamento e armazenamento de grãos porque investe em técnicos especializados, de quipamentos modernos e estruturas de armazenagem. “Isso envolve toda a questão de cuidados com os grãos, como qualidade e limpeza dos armazéns, sistema de aeração e refrigeração de grãos, processos que mantêm por mais tempo a qualidade do produto”, diz Ronaldo.
Portanto, após o descarregamento, seja de soja, milho ou trigo, acontece a pré-limpeza, operação considerada preliminar. Ela é feita com os grãos ainda úmidos e tem o objetivo de eliminar folhas, ramos, torrões, poeira, insetos, palhas e sementes de plantas daninhas ou outras espécies que vieram junto das lavouras e dificultam as operações subsequentes. Ronaldo comenta que “quando a pré-limpeza é bem-feita, propicia aumento na eficiência do processo seguinte: a secagem”.
Além disso, o gerente de armazenagem da Cotripal, explica que se os processos são conduzidos com eficiência, o que garante a qualidade do grão, o produtor fica seguro de comercializar seu produto no momento que achar mais adequado, sem chances de perdas no pós-colheita e evitando as pressões naturais do mercado na época da colheita.

Localização

Horário de Atendimento
Segunda a sexta:
7h40 – 12h e 13h30 – 18h
Horários especiais em períodos de safra e plantão

Unidade de Grãos Pejuçara

Linha Colônias Novas - RS 553, km 10 - Pejuçara/RS

Unidade de Grãos Capão Alto

Capão Alto - Santa Bárbara do Sul/RS

Unidade de Grãos Santa Bárbara do Sul

RS 506 nº 1851 - Santa Bárbara do Sul/RS

Unidade de Grãos Bozano

Estrada Linha 11 - Bozano/RS

Unidade de Grãos Mambuca

Linha Mambuca - Condor/RS

Unidade de Grãos Gramado

Linha Gramado - Panambi/RS

Unidade de Grãos Panambi

Av. Presidente Kennedy, 1969 - Panambi/RS

Unidade de Grãos Condor

BR 158 km 137 - Condor/RS

Unidade de Grãos Belizário

Estação Belizário - Panambi/RS

Unidade de Grãos Esquina Beck

Esquina Beck - Condor/RS

Unidade Ajuricaba

RS 514, km 59, linha 28 Norte – Ajuricaba/RS

SECAGEM

Uma boa parte dos produtos agrícolas, soja, milho e trigo, são colhidos com teores de umidade superiores ao recomendado para uma armazenagem segura. Por isso, precisam passar pela secagem, que visa remover o excesso de água existente. O processo envolve transferência de calor e massa entre o produto a ser secado e o ar usado na secagem.
“A umidade é considerada o fator mais importante no controle da deterioração de grãos armazenados”, diz Ronaldo Müller, gerente de armazenagem da Cotripal. Portanto, quando a umidade é mantida em níveis baixos, possíveis perdas são evitadas.
Ronaldo explica também que o aumento da intensidade da respiração dos grãos é prejudicial porque produz mudanças nas propriedades físicas e químicas, que podem levar à queda da qualidade. “O aumento da umidade dos grãos tem origem na presença da água metabólica resultante das transformações químicas da respiração. Grãos inteiros com baixo teor de umidade apresentam uma intensidade respiratória baixa. Já nos grãos quebrados ou danificados e com alto teor de

umidade, a respiração e perda de peso são altas.”
Por isso, nos armazéns da Cotripal é realizado o processo de secagem. A etapa consiste na redução da umidade, decorrente de uma diferença de pressão de vapor d´água entre a superfície do produto a ser secado e o ar que o envolve.
A velocidade de secagem de um produto depende, além do sistema utilizado, das características do grão. Para os pequenos, a velocidade é maior que para os de grandes dimensões. “Esta característica se estende em função da sua cobertura protetora”, esclarece o gerente de armazenagem.
Os métodos para realização do processo são os mais variados, desde o natural até a secagem forçada. A Cotripal utiliza o sistema de ventilação forçada com altas temperaturas. A técnica se baseia no princípio de que aumentando a temperatura do ar, a umidade relativa diminui.
Todo este cuidado tem por finalidade reduzir o teor de umidade do produto a um nível seguro e, assim, permitir que a armazenagem aconteça por um período mais prolongado.

Importância da Secagem

Permite a armazenagem por períodos mais longos, sem o perigo de deterioração do produto.

Reduz o desenvolvimento de micro-organismos e insetos.

LIMPEZA

O processo de limpeza dos grãos é uma operação que visa reduzir o teor de impurezas, como matérias estranhas, restos da cultura e grãos trincados, quebrados ou ardidos do lote, a um nível aceitável para a armazenagem e posterior comercialização.
De acordo com Ronaldo Ernesto Müller, gerente de armazenagem da Cotripal, a limpeza precisa ser realizada antes do armazenamento. “Assim, há maior garantia de manutenção da qualidade dos grãos normais e sadios, reduzindo umidade, minimizando contaminações e uniformizando a massa para os processos seguintes.”

A limpeza é realizada pela separação das impurezas se baseando nas propriedades físicas dos grãos. Os equipamentos utilizados separam as sujeiras em função de tamanho, forma, peso e velocidade terminal do produto. “A Cotripal utiliza a limpeza mecanizada, com máquinas de ar e peneiras, onde são retiradas as impurezas maiores através do peneiramento, e por aspiração são removidas as impurezas leves”, explica Ronaldo.

Todo este cuidado tem uma justificativa. Segundo o gerente de armazenagem, “lotes de grãos armazenados estão sujeitos às transformações, deteriorações e perdas devido a interações entre os fenômenos físicos, químicos e biológicos. Uma massa de grãos que sofreu um processo de limpeza deficiente pode ter grande influência de agentes como microrganismos e insetos, que se aproveitam do ambiente propício”.

Vale lembrar que o procedimento realizado nos grãos colhidos não aumentará sua qualidade pós-colheita. Apenas será mantida a qualidade obtida durante o processo de produção nas lavouras.

AERAÇÃO REFRIGERADA

Os grãos são organismos vivos e, por isso, sujeito a transformações. Alguns dos agentes que podem provocar estas transformações são: umidade e temperatura. Em virtude disso, nos armazéns da Cotripal há um rígido controle, a fim de manter a qualidade dos produtos. Entre as ações feitas está a aeração refrigerada dos grãos.

Aeração de grãos armazenados consiste em promover a passagem de baixa vazão de ar natural ou resfriado por meio de ventiladores, através da massa granular. Os objetivos são baixar e uniformizar a temperatura dos grãos armazenados, prevenir a migração de umidade e, dependendo das condições climáticas e da vazão de ar, promover a secagem dos produtos.

Ronaldo Ernesto Müller, gerente de armazenagem da Cotripal, exemplifica uma das situações que podem acometer os produtos armazenados. “Digamos que um determinado grão com 13% de umidade está em equilíbrio com o ar, que tem umidade relativa de 65% a uma temperatura de 25°C. Se colocarmos este grão num ambiente ou em contato com ar com 40% de umidade relativa a 25°C, haverá um desequilíbrio e passagem da água do grão para o ar – secagem.”

Devido a isso, para realizar a aeração é preciso levar em conta fatores como temperatura ambiente e condições de umidade. “Com o objetivo de reduzir as barreiras naturais à aeração, nós adotamos junto o resfriamento de grãos. Deste modo, a aeração refrigerada é utilizada porque temperaturas mais baixas reduzem o desenvolvimento de insetos e o crescimento da microflora. Além disso, preservam a qualidade dos grãos, evitam a migração de umidade pela uniformização da temperatura e removem bolsas de calor”, comenta Ronaldo.

Lembrando que o uso desta técnica de conservação para evitar a deterioração, deve ser sempre feito de maneira preventiva e nunca corretiva, pois só assim poderá trazer benefícios aos produtos armazenados.

A utilização da aeração refrigerada de maneira adequada pode, portanto, ser uma alternativa para prolongar o período de armazenamento e evitar a deterioração do produto, resultante de sua atividade biológica, além de reduzir o risco de condensação da água na parte superior dos silos.

Este cuidado, adotado pela Cotripal, garante a qualidade do produto armazenado. Isso traz uma série de benefícios. Entre eles, a segurança alimentar da população que um dia consumirá tais produtos, o valor do grão que mantém condições de atender as mais altas exigências de mercado, a certeza do produtor que deposita sua safra na Cooperativa de que seu investimento está bem guardado, e, enfim, outras tantas vantagens que somente uma Cooperativa comprometida com o desenvolvimento socioeconômico de seus associados e comunidades, bem como com o meio ambiente, pode oferecer.

A aeração é um processo que faz parte da manutenção da sanidade dos grãos armazenados.
Já a aeração refrigerada, utilizada pela Cotripal, tem como característica esfriar grãos secos quando
a temperatura do ar ambiente está muito alta, diminuindo o risco de perdas.

MONITORAMENTO

Um lote de grãos armazenado é um material sujeito a transformações, deteriorações e perdas devido a interações entre os fenômenos físicos, químicos e biológicos. Alguns fatores exercem influência neste ambiente, como temperatura, umidade, disponibilidade de oxigênio, micro-organismos, pragas e insetos. Por isso, os grãos armazenados na Cotripal passam por um caminho que inclui pré-limpeza, secagem, limpeza e aeração refrigerada. Contudo, os cuidados não acabam quando este processo termina.

Uma vez armazenados, começa a etapa de monitoramento, fase importante e constante, pois a massa de grãos formada está permanentemente exposta a perdas e redução de qualidade. “Armazenar de forma adequada é conservar os produtos alimentícios de acordo com os padrões de qualidade exigidos pelo mercado consumidor. Além disso, o armazenamento de grãos é essencial para o sucesso do agronegócio”, explica Ronaldo Ernesto Müller, gerente de armazenagem da Cotripal.

Entre as ações realizadas durante a fase de monitoramento estão: medir diariamente a temperatura da massa de grãos e percorrer os armazéns para verificação de possíveis focos de pragas.

“Todo este cuidado tem por finalidade garantir que o produto dos associados, armazenado na Cotripal, mantenha-se com qualidade e à disposição para posterior comercialização, pois este grão estará presente nos nossos alimentos”, finaliza Ronaldo.

Baixe o APP PRA VOCÊ

Baixe o APP ASSOCIADO

Cotripal - Juntos Somos Mais
Cotripal Agropecuária Cooperativa
Rua Herrmann Meyer, 237
CEP: 98280-000 - Centro
Panambi - RS
Fone: (55) 3375 9000