Notícia

06 de Novembro de 2018

Estudo mostra que 80% dos brasileiros não conseguem guardar dinheiro

O Dia Mundial da Poupança, comemorado na semana passada (dia 31), foi criado para a conscientização sobre a importância de preservar recursos para o futuro. No entanto, aqui no Brasil, por conta do aumento dos preços dos produtos e das dificuldades financeiras atuais, poupar é um luxo para poucos. É o que mostra levantamento feito pelo Instituto Axxus, em parceria com a Unicamp e a Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), segundo o qual 80% dos trabalhadores brasileiros não conseguem poupar para realizar nenhuma forma de investimento, enquanto os outros 20% aplicam em algum fundo mensalmente, ou apenas quando sobra algum dinheiro no fim do mês. A pesquisa foi realizada em mais de 100 empresas brasileiras, com dois mil funcionários de 10 estados.

Dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) comprovam que poupar não é um hábito do brasileiro: apenas 35% dos brasileiros costumam poupar habitualmente, sendo que 28% afirmam guardar o que sobra do orçamento e 7% estipulam um valor a ser poupado. Em agosto, ainda de acordo com a pesquisa CNDL/SPC Brasil, apenas 16% dos entrevistados conseguiram guardar algum dinheiro, enquanto 40% tiveram de sacar parte de seus recursos para poder pagar as contas.

O desemprego e a crise na economia têm grande parcela de culpa nessa situação, afirma a planejadora financeira Annalisa Blando Dal Zotto, sócia da consultoria Par Mais, mas mesmo aqueles que estão empregados e com renda têm dificuldade de gastar menos do que ganha. Segundo ela, a descoordenação entre o que entra de dinheiro todo o mês e o que é consumido pelas despesas regulares e extraordinárias leva a uma atitude perigosa para as finanças, que é a ideia de poupar somente "se sobrar" dinheiro. "Essa atitude do `se sobrar` não adianta, porque dificilmente acontece. A maioria das pessoas sempre posterga para o próximo mês. Eu prefiro a estratégia do `pague-se antes`.

Quando você separa, por exemplo, 10% do seu dinheiro logo depois que recebe o salário, pode ser difícil no início, mas gradualmente você aprende a viver com os 90% restantes", aponta Annalisa. Além da falta de cultura de poupança do País, Annalisa acredita que a falta de hábito de fazer orçamento doméstico ajuda a compreender por que tantos brasileiros não guardam dinheiro. "É importante criar um objetivo para guardar dinheiro. Sem foco, fica mais difícil conseguir poupar - alerta a especialista, ressaltando que o brasileiro ainda é muito imediatista e não se preocupa em acumular patrimônio para o futuro. - A falta de hábito de poupar acontece porque as pessoas não costumam associar a poupança à realização de sonhos. E por isso não fazem um planejamento", diz. Presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos também defende que se poupe primeiro para gastar depois, e o ideal é que, ao receber o salário, a pessoa reserva a quantia necessária para seus objetivos futuros e para readequar seu padrão de vida.

"Poupar dinheiro para realizar sonhos é algo que, com certeza, mudará completamente a sua relação com as finanças. Assim você abandonará hábitos de consumo exagerados e inconscientes e passará a ser alguém que realiza sonhos constantemente", alega. Domingos acrescenta que, para poupar, será preciso que todos na família, inclusive as crianças, mudem seu comportamento no que diz respeito ao desperdício e gastos extras. "É bom marcar uma conversa com todos, não sobre redução de gastos, mas sim sobre sonhos a serem realizados.

Fale abertamente e estabeleça ao menos um sonho coletivo, algo que todos de casa desejem, como uma viagem ou uma reforma na casa." Annalisa reforça que não é preciso abrir mão do consumo e deixar de fazer coisas que dão prazer. "A palavra de ordem é equilíbrio! Saber equalizar o orçamento e evitar gastos desnecessários facilita na hora de guardar uma parte da renda todos os meses. O segredo é planejar e saber priorizar." No entanto, afirma a especialista, não existe regra para poupar mensalmente, mas todas as pessoas devem economizar alguma quantia todo mês. "Uma boa prática para ter reserva para emergências e para planejar a aposentadoria é buscar economizar 20% da receita líquida mensal", recomenda. Mas como fazer isso com um orçamento tão apertado? Para a planejadora financeira, um bom começo pode ser guardar parte do 13º salário, do adicional de férias, ou até mesmo de um bônus.

"E em caso de aumento do salário ou promoção, considere guardar pelo menos 50% do incremento, ao invés de incorporá-lo ao padrão de vida corrente ", sugere. Modalidade tem espaço para crescer no País Poupança da Caixa Econômica Federal fechou o ano passado com captação líquida de R$ 8 bilhões FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/JC A poupança da Caixa Econômica Federal fechou o ano passado com captação líquida de R$ 8 bilhões e um total de 74 milhões de poupadores. Para o educador financeiro Rogério Braga, membro da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), com uma população de mais de 207 milhões de pessoas, há um amplo caminho para que a poupança cresça ainda mais no País. Para o especialista, os brasileiros ainda não têm o hábito de poupar. Ele aponta que um dos principais problemas da população brasileira atualmente é o consumo exagerado, o acúmulo de créditos, que levam ao descontrole financeiro.

O primeiro passo para quem quer fazer uma poupança é estabelecer um sonho ou um objetivo de vida. "O maior segredo é estabelecer esse objetivo e começar a fazer um diagnóstico financeiro de vida. Começar a pegar aquele recurso, separar a parte dele para poupar no início, porque se deixar para o final do mês, vai faltar recurso", indicou. Conversar com a família em relação ao sonho coletivo é um segundo passo também importante. Braga aconselha que as pessoas coloquem todos os objetivos no papel. "Tem que ser disciplinado. A disciplina de seguir todo esse processo leva ao sucesso", apostou. Para o educador financeiro, o brasileiro tem o mau costume de ser imediatista, o que termina colocando alguma meta de futuro adiante da sua realidade. Ele recomenda que as pessoas estabeleçam prazos e aprendam a gastar e a economizar. Esse é um processo diário, destacou. "Tem que usar os recursos em algo efetivamente necessário, e não supérfluo.

"Poupar primeiro é sempre muito importante. O hábito de poupar deve ser feito antes de receber o salário e gastar no consumo." Braga acredita que com essas etapas, já pode haver uma mudança geral, uma nova visão sobre o hábito de poupar. "E, aí, a poupança se beneficia disso, porque ela é muito fácil, muito acessível a toda a população brasileira". Faz parte ainda do diagnóstico financeiro que as pessoas comecem a observar onde há excesso, como podem gastar melhor e onde podem economizar. Braga afirmou que muitas pessoas cometem o erro de gastar além do seu padrão de vida e, por isso, a conta nunca fecha e elas terminam sempre endividadas. O ideal é identificar onde gastar. "Gastar sem excessos, dentro da sua realidade, é fundamental".

Confira alguns passos para começar a poupar

Estabeleça seus sonhos - Hábitos saudáveis dependem diretamente da vontade de realizar sonhos - aqueles desejos esquecidos, às vezes quase abandonados, mas que são muito importantes para cada um de nós. Ter objetivos traçados é um estímulo para poupar todos os meses e realizar o que se deseja sem entrar em endividamentos e comprometer boa parte da renda com dívidas, o que pode levar à inadimplência. Coloque os objetivos no papel - liste esses sonhos e procure saber o quanto custará para realizar cada um deles. Tendo em mente quando - se daqui há quantos meses ou anos deseja realizar - você saberá o quanto precisará poupar mensalmente para todos eles simultaneamente. Isso nada mais é do que fazer um planejamento. Saiba onde economizar - faça um diagnóstico financeiro por 30 dias (ou 90, caso tenha renda variável). Anote todos os seus gastos, tanto os grandes quanto os pequenos, separando por tipo de despesas (como "refeições fora de casa", "supermercado" e "celular", por exemplo). Analise quais gastos pode reduzir ou eliminar para poupar. Converse com as crianças para que elas economizem água e energia elétrica e conservem seus materiais escolares e brinquedos. Conserve um hábito - Não poupe só se sobrar dinheiro. Se você estabeleceu como meta poupar 10% de sua renda mensal, tente separar com antecedência essa parte do dinheiro. Agende seus investimentos - É um recurso disponível na maioria das contas bancárias, e pode ser usado com caderneta de poupança, fundos de investimento e Tesouro Direto.

Fonte:Jornal do Comércio

Baixe o APP PRA VOCÊ

Baixe o APP MINHA COTRIPAL

Cotripal - Juntos Somos Mais
Cotripal Agropecuária Cooperativa
Rua Herrmann Meyer, 237
CEP: 98280-000 - Centro
Panambi - RS
Fone: (55) 3375 9000